Resinas, uma visão sistêmica

Resinas para RAD, uma visão sistêmica
Muito se fala em revestimentos argamassados, autonivelantes, espatulados, multicamadas e pinturas, mas devemos lembrar que estas denominações referem-se ao sistema executivo, à relação entre resina e cargas e não à resina que os compõem. É verdade que até pouco tempo revestimento era sempre denominado “revestimento epóxi” em referência à resina epóxi, base de quase todos os revestimentos disponíveis no mercado. Com o aumento das commodities, necessidade de novas soluções a problemas e limitações do epóxi, resinas com novas características foram apresentadas ao mercado nacional. Neste artigo, avaliaremos as resinas, vantagens e desvantagens e suas melhores aplicações.

Resina Epóxi Líquida = LER
Foi por muitos anos e ainda é a resina mais usada na formulação de RADs. Os principais motivos são o baixo custo, sua alta versatilidade, fácil manipulação, alto brilho, boa resistência química (principalmente à abrasão), pouco tóxica e, nas formulações 100% sólidos, ter baixo odor ou baixo VOC. É uma resina que pode ser utilizada para formular qualquer tipo de sistema, de pintura a argamassados, pode ter uma cura rápida ou lenta, conforme o agente de cura utilizado (endurecedor). Entre as suas limitações está o fato de sistemas epóxi serem altamente impermeáveis, o que torna estes sistemas susceptíveis às umidades ascendentes. Porém, esta mesma característica é uma vantagem quando se deseja ambientes com alto controle de contaminação, como, por exemplo, na indústria farmacêutica, centros cirúrgicos etc. Outra restrição para seu emprego são os sistemas expostos a choques térmicos, temperaturas inferiores a 5°C ou superiores a 80°C. Resinas epóxi expostas a raio Ultra Violeta (UV) amarelam e calcinam, portanto nunca devem ser usadas em áreas externas. As virtudes da resina epóxi a credenciam como excelente para formular sistemas em ambiente internos, com alto tráfego, onde se deseja brilho, manutenção simples, baixo custo e fácil manuseio.

Resina Uretano Cimentícia
Esta combinação de Poliol (composto a base de óleos vegetais), isocianato MDI e cimento tem sido a grande novidade nos últimos anos como base para revestimentos de alto desempenho. Os sistemas Uretano Cimentícios vêm preenchendo uma lacuna na qual os sistemas epóxi não eram muito eficiente e as cerâmicas de alta espessura são caras e limitam a movimentação de carga. A grande vantagem dos sistemas compostos com Uretano Cimentícios é justamente a desvantagem dos sistemas epóxi. Eles suportam grandes ciclos térmicos (lavagem dos pisos com vapor), têm permeabilidade suficiente para resistir umidade ascendente, podem ser aplicados em superfícies com umidade de até 12% e aguentam temperatura de -45°C até 120°C. Com uma superfície antiderrapante, é atualmente o sistema ideal para a indústria alimentícia, abatedora, frigorífica e de bebidas. Como desvantagens têm a sua estética rústica, a mesma sensibilidade que as resinas epóxi possuem quando expostas a raios UV, a alta reatividade da resina, a limitação de cores e o baixo tempo de armazenagem.

Resinas Metil Metacrilato ou MMA
As resinas MMA são pouco usadas no Brasil. Nos países de clima temperado são utilizadas em plantas alimentícias, concorrendo com as resinas Uretano Cimentícias. Sua principal característica é a sua alta reatividade, reagindo em poucos minutos e é a única resina que reage em temperaturas abaixo de zero. É comumente empregada em reparos emergenciais em câmaras frigoríficas. Costuma ser mais cara e requer a compra de vários tipos de resina para se formular um sistema, diferentemente dos sistemas epóxi que requerem apenas uma resina. Como desvantagem tem o fato de exalar um forte odor durante o processo de cura, em temperaturas acima de 25°C ser extremamente difícil de manipular, ter uma limitada gama de cores, amarelar quando exposto ao sol, não poder ser usada sobre superfícies úmidas e não permitir a dissipação de umidade ascendente.

Resinas Poliuretano
As resinas poliuretano provavelmente são as mais versáteis e com maior número de aplicações no nosso cotidiano. Com Poliuretano faz-se desde solas de sapatos até isolamento térmico de naves espaciais. No mundo dos revestimentos de alto desempenho sua principal aplicação são os vernizes e pinturas de acabamento. Por sua alta resistência a raios UV, química e à abrasão (PU alifático), as empresas de revestimento a usam principalmente como acabamento final =Top Coat. Os PU aromáticos de alto sólidos podem também ser utilizados na composição de sistemas, porém normalmente são empregados em sistema para áreas comerciais e residenciais por serem mais macios e menos resistentes a impacto, arrastes etc.

Poliuréias e outras resinas Hibridas
As Poliuréias são resinas blendadas 100% poliuretano. Sua principal característica é o processo de aplicação. Diferentemente dos poliuretanos tradicionais, requerem equipamentos especiais de pré-aquecimento da resina e bico misturadores, uma vez que o tempo de aplicação é de apenas alguns segundos. Sua aplicação é principalmente em tanques de contenção e impermeabilizações por ter uma característica de bom alongamento e superior resistência a ácidos e bases.

Vice-presidente da ANAPRE: Alexis Joseph Steverlynck Fonteyne
Diretor da Solepoxy / PROPISO